Seiya de Pégasus

De Nikkeypedia

(Redirecionado de Seiya de Pegasus)
Seiya .
Seiya .

Seiya de Pégaso é o cavaleiro protagonista da série de mangás e anime Saint Seiya (Cavaleiros do Zodíaco), criada por Masami Kurumada.

Conteúdo

[editar] Origem do nome Seiya

Seiya é escrito com dois kanji:(Sei, [estrela]) e (Ya, [flecha] ), 星矢 "Flecha Estelar". A referência a flecha que pousa em suas mãos em diversas ocasiões quando este traja a Armadura de Sagitário. Por nota é sabido que, após o Big Bang, a essência do "Big Will" difundiu-se pelo universo pelos feixes luminosos (flechas) que, mais tarde, se transformaram em estrelas.

[editar] Descrição

"Seu cosmo inflamado acende a chama dos milagres do Cavaleiro de Pégaso!"

[editar] Histórico

Seiya e seus amiguinhos.
Seiya e seus amiguinhos.

Seiya foi adotado pela Fundação Graad ainda criança e depois de um tempo vivendo com outros órfãos e com a irritante e mimada neta do dono da Fundação, Saori Kido, que ele detestava muito. Após um tempo, Seiya é enviado para a Grécia para ser treinado como Cavaleiro. Sem saber, Seiya era um dos cem filhos do dono da Fundação, Mitsumasa Kido, o qual lhe prometera que, se voltasse com a armadura da Grécia, o reuniria novamente a sua irmã por parte de mãe, Seika, de quem fora separado traumaticamente.

Seika.
Seika.
Mitsunaga Kido.
Mitsunaga Kido.

Depois de suportar o duro treinamento ministrado pela enigmática amazona Marin de Águia, ele aprende os mistérios envolvendo a fonte de poder dos Cavaleiros, o Cosmo, e conquista a Armadura de Bronze de Pégaso derrotando seu rival, Cassius. A Mestra de Cassius, a Amazona Shaina de Ofiúco, tenta matá-lo e acaba tendo sua máscara arrancada acidentalmente por Seiya, sendo que este não sabia que uma Amazona jamais pode ser vista sem máscara e deve escolher entre matar o homem que viu seu rosto ou amá-lo.

Marin de Águia.
Marin de Águia.
Shaina de Ofiúco.
Shaina de Ofiúco.


De volta ao Japão, Seiya reencontra Saori e lhe cobra a promessa feita por seu agora falecido avô. Mesmo depois de anos, os dois novamente se estranham, mas Seiya aceita participar da Guerra Galáctica, torneio reunindo num Coliseu moderno os dez órfãos que conseguiram retornar vivos com suas armaduras, sob a condição de a fundação encontrar Seika, a sua irmã desaparecida. Seiya segue lutando e vencendo as lutas do Torneio até que, após um combate mortal, o Pégaso tira a vida de Shiryu de Dragão, acertando-lhe um golpe que faz seu coração parar de bater. Mas, mesmo gravemente ferido, se levanta da maca para ressucitá-lo com um golpe no lado oposto ao primeiro, o que reanima o coração do companheiro. A partir daí Shiryu se tornaria seu mais fiel amigo, sempre disposto a se sacrificar por ele. Na sequência dos combates a armadura de Ouro de Sagitário, o grande prêmio do vencedor da Guerra Galáctica, é roubada por Ikki de Fênix, irmão de Shun de Andrômeda e líder dos renegados Cavaleiros Negros. Seiya, Shiryu, Shun e o misterioso Hyoga de Cisne são desafiados e enfrentam seu antigo colega e os asseclas dele, descobrindo os trágicos acontecimentos que tornaram Ikki tão cheio de ódio.

Estes acontecimentos fazem os cinco personagens se tornarem cada vez mais próximos vivenciando de perto o drama uns dos outros, enquanto descobrem que tudo foi um plano do pai deles, Mitsumasa Kido, para deter o mal que assola o Santuário de Athena, onde Seiya foi treinado. O Santuário por sua vez interfere mandando um verdadeiro exército para liquidar os Cavaleiros de Bronze, inclusive conhecidos de Seiya como Marin de Águia, Shina de Cobra e Aiolia de Leão. Durante as lutas com os Cavaleiros de Bronze, Prata e de Ouro enviados pelo Santuário, é revelado que tudo aconteceu porque Saori Kido é na realidade a encarnação terrena da deusa Atena, entregue aos cuidados de Mitsumasa por Aiolos de Sagitário à beira da morte, para que não fosse morta por um usurpador que matou e tomou o lugar do Grande Mestre do Santuário. Esta pessoa acusou Aiolos de tentar matar Atena, enganando os demais Cavaleiros. Os cinco percebem que estão predestinados a protegerem Saori.

No meio dos combates Seiya também é enterrado vivo, quebra um braço, vê seu melhor amigo ficar cego, começa a desconfiar que Marin de Águia é sua irmã, Seika, e descobre os verdadeiros sentimentos de Shaina, que simplesmente tentou matá-lo porque se julgava indigna do seu amor. Saori decide então ir com os Cavaleiros até o Santuário e destronar o falso Grande Mestre. Lá chegando ela é ferida por uma flecha de ouro, que a deixa às portas da morte, o que faz com que Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki corram contra o tempo para salvá-la (fato este que se tornaria recorrente na série). Após mais batalhas mortais, os cinco despertam o Sétimo Sentido (a plenitude do Cosmo) conseguindo momentaneamente lutar de igual pra igual com os Cavaleiros de Ouro e atravessando as 12 Casas do Zodíaco para desmascarar o Grande Mestre, na verdade o Cavaleiro de Ouro de Gêmeos, Saga, que (aparentemente) desenvolveu uma dupla personalidade maligna. No caminho o Pégaso enfrentou ao lado de seus amigos os maiores inimigos, fraturou uma perna e assistiu ao sacrifício de um antigo rival, Cassius, que morreu para salvá-lo porque amava Shaina, além de ver seus próprios companheiros caindo, um por um, para que ele pudesse salvar Atena.

Seiya.
Seiya.

No fim da terrível batalha Seiya chega ao Escudo da Estátua de Atena, no topo das Doze Casas, e a luz do Escudo faz com que a flecha e o ferimento de Saori desapareçam, e a jovem finalmente retoma o seu lugar de direito no Santuário. Entretanto, essa verdadeira guerra entre os Cavaleiros de Athena causou várias baixas, além de deixar Seiya, Shiryu, Shun e Hyoga em coma e Ikki desaparecido. Aproveitando-se disso o deus dos Mares, Poseidon, inimigo mitológico de Atena, resolve atacar. No anime ele domina a regente de Asgard, Hilda, com o Anel Nibelungo com o objetivo de derreter os Pólos e inundar a Terra. Já recuperados, o Quinteto de Bronze vai até a gelada Asgard enfrentar os guerreiros-deuses de Hilda (que apesar do nome são guerreiros mortais como os Cavaleiros de Atena). Porém, Poseidon sempre soube do resultado deste combate em favor dos Cavaleiros de Atena e, quando este chega ao fim e Hilda é libertada, os mares tragam Saori, sob suas ordens, para o seu Santuário Submarino.

Debaixo dágua, Saori descobre que Julian Solo, um antigo pretendente, era Poseidon e queria "limpar" a Terra da podre humanidade e refazê-la do zero. Ele a convida para estar ao seu lado, mas ela recusa e é trancada no Pilar Central, que é inundado com toda a água que ele jogaria na Terra, adiando assim o fim da Humanidade. Seiya, Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki mais uma vez vão salvá-la, e também ao mundo, derrubando os Sete Pilares dos Sete Mares com ajuda das Armas das Armaduras de Libra e derrotando seus guardiões, os Generais Marinas. No meio do caminho eles descobrem que Poseidon estava sendo manipulado por Kanon, irmão gêmeo de Saga, que controlava Poseidon, mantendo-o semi-adormecido dentro do corpo de Julian Solo. Porém o decorrer dos combates faz com que o Espírito do Deus vá se despertando e se tornando cada vez mais poderoso. Seiya com a Armadura de Ouro de Sagitário, Hyoga a de Aquário e Shiryu a de Libra, o detém momentaneamente, mas não conseguem destruir o Pilar Central onde Atena, confinada, está prestes a morrer afogada. Num ato de desespero para salvá-la Seiya pede que Shiryu e Hyoga o arremessem com seus golpes mais poderosos contra o Pilar. Diante de Poseidon, Seiya é atirado como uma bala humana de cabeça e coloca o último e mais poderoso Pilar abaixo. Consequentemente o Santuário de Poseidon começa a ser alagado pelas águas enquanto Seiya, cambaleante, carrega Saori dos destroços. E ela, unsando a Ânfora de Atena, prende o Espírito de Poseidon, libertando Julian Solo, salvando a seguir seus companheiros dainundação do Santuário do deus do Mar.

Em seguida Hades, o deus dos Mortos, despertou para sua Guerra Milenar com Atena. Ele ressucitou alguns Cavaleiros da inimiga para, ao lado do seu Exército de Espectros, invadirem o Santuário e arrancarem a cabeça da Deusa. Após mais uma luta sangrenta nas 12 Casas, Saori aparentemente se suicida, para desespero de Seiya. Logo ele e seus amigos descobrem, através de Shion de Áries, o verdadeiro Grande Mestre que havia sido morto por Saga, que os Cavaleiros ressuscitados apenas tinham tentado avisar Atena sobre o Arayashiki, o Oitavo Sentido, que seria necessário para chegar vivo ao Mundo dos Mortos e enfrentar Hades pessoalmente. Com sua curta ressurreição chegando ao fim e, antes de deixar este mundo, Shion confia aos Cavaleiros a Armadura de Atena, a qual ela precisará para enfrentar seu inimigo e revitaliza suas armaduras com o sangue da deusa. Seiya e seus amigos vão até o Castelo de Hades na Alemanha, onde os Espectros eram comandados pelos Três Juízes do Mundo dos Mortos e pela misteriosa Pandora. Com ajuda de Dohko de Libra, o até então Velho Mestre de Shiryu (rejuvenecido graças a Atena), eles despertam o Oitavo Sentido e descem literalmente até as profundezas do Inferno.

Seiya, ao lado de Shun, atravessa os domínios de Hades confrontando seus comandados em meio a cenários de dor e sofrimento, mas recebendo a valiosa ajuda de Kanon, que passou a servir Atena e adotara a armadura de Ouro de Gêmeos de seu irmão Saga, e Orfeu de Lira, Cavaleiro de Prata que havia deixado de servir Athena para reencontrar sua amada morta, mas fora enganado por Hades. Com ajuda dele, Seiya e Shun pensam terem encontrado Hades, que tem a mesma aparência de Shun. É quando eles são atacados por Radamanthys um dos Três Juízes. Em meio à confusão Orfeu morre e Seiya descobre que o verdadeiro Hades sempre esteve dentro de Shun desde que Pandora encontrou ele e Ikki ainda crianças. Seiya é levado para o Cocyte, a Prisão do Inferno reservada aos que se viram contra os Deuses enquanto Ikki surge para ajudar o irmão, e Hades revela que realinhou os planetas do Sistema Solar para criar um Eclipse que acabaria com a vida na Terra, transformando-a num mundo de trevas eternas. Ao contrário de Poseidon, que queria reiniciar a vida na Terra com uns poucos escolhidos, Hades queria que todos morressem pois odiava os humanos que Atena tanto defendia. Shun tenta controlar Hades, mas Ikki não consegue sacrificar o irmão e também é aprisionado e levado até Cocyte.

Após acordar enterrado até o pescoço no Inferno de Gelo do Cocyte, Seiya consegue sentir a aproximação de Saori, escoltada por Shaka de Virgem. Ela confronta Hades e liberta Shun, seguindo seu inimigo para além dos limites do Inferno, nos Campos Elíseos. Seiya consegue abrir caminho até onde Saori estava e reencontra Shun, libertado, e Shaka, mas descobre que para encontrar Athena era preciso atravessar o Muro das Lamentações. Isso é possível graças a união dos Cavaleiros de Ouro, vivos e mortos, que desaparecem usando suas últimas energias para que os Cavaleiros de Bronze cheguem até Atena. Seguindo a abertura feita no Muro eles atravessam uma dimensão inóspita protegidos pelo sangue de Atena em suas armaduras, enquanto atrás deles, os últimos Espectros vão caindo. Seiya é o primeiro a chegar aos Campos Elíseos, e encontra os Deuses Gêmeos Thânatos e Hipnos, respectivamente os Deuses da Morte e do Sono, que protegem o verdadeiro corpo de Hades nos Elíseos e usaram Pandora para esta pegar o corpo de Shun como hospedeiro. Quando Pandora não lhes servia mais eles a mataram. Hypnos revela que Saori estava presa num grande vaso que sugava todo seu sangue. Seiya tenta ir até lá e Thânatos dá uma impiedosa surra no Cavaleiro de Pégaso, talvez a maior de sua vida, além de tentar matar sua irmã Seika, que tinha acabado ser localizada por Marin na Terra.

É quando Shiryu, Shun, Hyoga e Ikki chegam para ajudar o amigo e também são massacrados pelo Deus. Na Terra, Poseidon usa os últimos resquícios de seu domínio sobre Julian Solo para enviar as armaduras de Ouro para o Quinteto de Bronze. Além de Seiya vestir a de Sagitário, Hyoga a de Aquário e Shiryu a de Libra, Shun coloca a de Virgem e Ikki a de Leão. Porém, Thânatos mostra todo seu poder divino e destrói com um só golpe as cinco armaduras. Em meio ao desespero, Seiya ouve os apelos de Saori e de sua irmã, que ele não ouvia a tanto tanto tempo, e ousa se levantar contra o Deus da Morte mais uma vez. Desta vez seu Cosmo aliado ao Sangue de Athena transforma o traje de Pégaso em uma Armadura Dvina, uma versão de Kamui, que são as 12 armaduras vestidas pelos deuses Olímpianos. Hypnos tenta avisar Thânatos que a mudança de Seiya foi além da transformação da armadura, mas ele não lhe dá ouvidos e é ferido pelo Pégaso. Seiya, com pressa, atinge Thânatos com o máximo de força e faz o que parecia impossível: mata o poderoso Deus. Em seguida Seiya ignora Hypnos e parte para levar a Armadura de Athena para ela. Enquanto isso os demais Cavaleiros seguem seu exemplo e também transformam seus trajes em Armaduras Divinas, liquidando Hypnos. Em outro ponto dos Elíseos Seiya e Ikki (que também consegue ter sua Armadura Divina graças ao sangue de Athena que escorria do Grande Jarro) despertam o verdadeiro corpo de Hades. Mesmo com armaduras mais poderosas, os dois não conseguem nem arranhar Hades, que está no auge do poder. Shiryu, Shun e Hyoga chegam para ajudá-los. Os cinco se unem, mas mesmo assim são facilmente rechaçados por Hades. Este, por sua vez, olha de forma diferente para Seiya e, preocupado, recorda-se que, na Era Mitológica fora ferido por um Cavaleiro chamado Pégaso, e desde então passou a tomar corpos de humanos como hospedeiros em todas as suas encarnações. É quando Saori, que tinha se deixado prender no vaso de propósito, se liberta sozinha e, vestindo sua armadura, vai ela mesma enfrentar Hades, protegendo seus fiéis Cavaleiros em Esferas de energia. Mas nem ela parece ser páreo para o Deus. Vendo-a em perigo, Seiya destrói sua esfera de proteção e se lança entre eles golpeando Hades e atirando-o longe. Todos comemoram o feito… porém quando olham de volta veêm a Espada de Hades atravessada no peito de Seiya. O Cosmo do Cavaleiro de Pégaso desaparece. Hades se recompõe e debocha da dor deles. Shiryu, Hyoga, Shun e Ikki inflam seus Cosmos ao máximo e os unem ao da Deusa Athena que transpassa Hades com o Cetro da Vitória. Em seguida, os Campos Elíseos, o Inferno e todo o Mundo dos Mortos começa a se desvanecer.

Tempos depois é revelado que Seiya sobreviveu, mas ficou preso a uma cadeira de rodas e catatônico, além de estar sob efeito de uma misteriosa maldição de Hades. Tudo isso faz com que necessite dos cuidados de Saori, que se isolou com ele numa casa. É quando uma ordem vinda diretamente do Olimpo ordena que os anjos de Artemis, os cavaleiros celestiais venham a Terra matar Seiya por ter ousado atacar os Deuses. Eles levam Athena, e quando Seiya nota que o cosmo dela se afastou, levanta-se mais uma vez para erguer o punho contra os Deuses e salva-la. É o início da Saga do céu. Porém, a história do Prólogo do Céu é descartada e a história em Next Dimension será a Saga do Céu.

[editar] Habilidades de luta

É habil em golpear o adversário com sucessivos socos, aproveitando a grande agilidade que tem. De vez em quando, utiliza técnicas de lançamento do adversário, mas seu ponto forte mesmo é a garra de lutar, enfrentando destemidamente o inimigo.

[editar] Golpes

Meteoro de Pégaso.
Meteoro de Pégaso.
  • Meteoro de Pégaso (Pegasus Ryu Sei Ken): O cavaleiro lança socos ou chutes capazes de atingir o inimigo cem vezes por segundo, parecendo meteoros, podendo até mesmo atingir o inimigo a longas distâncias. Quanto maior seu cosmo mais meteoros pode desferir. Na versão da Gota-Mágica, inicialmente era pronunciado como Me Dê sua Força Pégaso, no decorrer da série passa a ser pronunciado como Meteoro de Pégaso. Na versão Dubrasil houve falhas em que os dois termos eram ambiguamente pronunciados.
  • Turbilhão de Pégaso (Pegasus Rolling Crush): Golpe no qual o cavaleiro agarra o oponente, logo em seguida envolvendo os dois por uma poderosa energia, salta girando no ar projetando toda esta energia contra o inimigo lançando-o para o chão com uma violenta força. Na versão da Gota-Mágica, o termo Me Dê sua Força Pégaso era pronunciado inúmeras vezes para depois ser pronunciado como Raio de Pégaso no fim da saga Santuário. Na antiga dublagem, continuou a ser pronunciado até a saga Poseidon como Me Dê sua Força Pégaso. Já na redublagem, seu golpe é pronunciado como Turbilhão de Pégaso.
  • Cometa de Pégaso (Pegasus Sui Sei Ken): O cavaleiro de Pegaso concentra a força de cem meteoros em seu punho formando um imenso cometa e se lança contra o inimigo e em fração de segundos uma enorme pulsante e poderosa bola de cosmo que se pareçe muito com um cometa surge e acaba detonando o corpo do adversário ou se não causando um enorme estrago. Na batalha das doze casas do zodiaco, na luta contra Aldebaran de Touro e outros demais cavaleiros, Seiya parece aperfeiçoar seu ataque Cometa de Pégaso, pois o cavaleiros de Pégaso acumula o poder de 100 meteoros em seu punho e com um só soco, ele dispara o cometa de Pégaso só que mais poderoso e com mais poder destrutivo que no primeiro, vencendo outros cavaleiros de ouro e outros inimigos em outras batalhas. Anteriormente, Seiya gritava Centelha de Pégaso, mais na luta contra Aiolia seu golpe é pronunciado como Cometa de Pégaso. É o seu golpe mais forte e ele usa apenas em lutas de extrema dificuldade e desespero.

[editar] Armaduras

Pégaso
  • Formato original
Armadura Original.
Armadura Original.
Armadura Final.
Armadura Final.

O tronco é protegido somente do lado esquerdo sobre o coração, com o objetivo de não pesar muito e proporcionar maior velocidade ao Cavaleiro. No anime, esta forma da armadura de Pégaso é usada até o fim da fase Santuário. O elmo da armadura, no mangá, é praticamente a mesma da fase Poseidon, diferente da sua versão no anime, onde lembra mais um capacete, em toda a primeira fase. Além disso, os adornos presentes no braço direito são inexistentes na versão da armadura no anime. Originalmente esse formato foi adotado no anime Lost Canvas como armadura de Tenma, retirando a cor vermelha nas extremidades da armadura como a de Seiya e braços praticamente diferenciado e o elmo aparece como da saga Asgard e Poseidon.

  • 2º Formato
Armadura Sagrada.
Armadura Sagrada.

Danificada durante a batalha contra Shiryu, a Armadura perde sua força vital, mas é restaurada graças ao sangue de Shiryu e à técnica de Mu. Ela evolui com mais poder de proteção, ganha uma blindagem maior e a estrutura da máscara fica mais sólida. No anime seu formato foi mantido.

Doador: Shiryu de Dragão

  • Formato restaurado

A armadura foi restaurada por Mu antes de os Cavaleiros entrarem nas Doze Casas do Zodíaco. O formato básico não mudou, mas as partes ganham um estilo mais anguloso. No anime seu formato foi mantido como na luta que teve com Shiryu e depois da luta contra os cavaleiros de prata.

Doador: Nenhum

  • 3º Formato

A Armadura de Seiya é destruída após a Batalha das Doze Casas do Zodíaco, entretanto, ela renasce pelo sangue dos Cavaleiros de Ouro, tornando-se uma armadura com poderes muito próximos das Armaduras de Ouro e dispondo de um poder de proteção infinitamente maior que sua armadura anterior, com um brilho dourado reluzente. Seu formato foi usado na batalha de Asgard e Poseidon. No mangá esse formato foi só na saga de Poseidon.

Doador: Aiolia de Leão

EAiolia de Leão.
EAiolia de Leão.
  • Formato avançado

A Armadura de Pégaso foi renovada por Shion, o antigo Grande Mestre, mas seu formato reluzente foi mantido, somente na luta em que teve contra Radamanthys. No momento em que Seiya precisa atravessar o espaço dimensional que leva até os Campos Elíseos, surgem asas na armadura. Seu formato também aparece no anime Lost Canvas em que a armadura de Tenma fora restaurada por Hakurei o mestre do Santuário com o sangue de Asmita de Virgem, porém atua no anime de forma diferente, não aparece o brilho reluzente em sua armadura.

Doadora: Atena

  • Armadura Divina

Durante a luta contra Thanatos, o deus da Morte, a Armadura de Pégaso foi reduzida a pó. Mas, quando Seiya eleva seu Cosmo ao limite máximo, ela ressuscita e evolui para uma Armadura Divina - a forma mais próxima das Kamuis. Esse formato apareceu no início da temporada de Lost Canvas em que Tenma veste a armadura divina na luta contra Hades.

  • Armadura Místeriosa

Aparecendo nos créditos finais de Prólogo do Céu, esta é uma versão da armadura de pégaso que, mesmo tendo seus poucos pedaços reduzidos a cinzas por Apolo, volta com uma aparência que parece misturar os visuais do formato avançado e da armadura divina, após Seiya ter elevado seu cosmo ao infinito. Com esta armadura, Seiya foi capaz de ferir Apolo, mesmo que tenha sido apenas um arranhão no rosto do deus. É exclusiva do filme.

Sagitário

Seiya após correr perigo nas mãos de 3 cavaleiros de prata, surge a armadura de ouro de Sargitário e cobre seu corpo, acabando com todos os que tavam a sua volta. Depois de batalhar com Aioria, ele via seu irmão Aioros em Seiya e percebeu que ele tem lutado contra Atena. Terminado o combate, a armadura de ouro deixa o corpo de Seiya e desde então, começa a batalha contra os cavaleiros de ouro. Por muitas vezes a armadura de ouro tem ajudado em muitas batalhas, exceto na batalha das doze casas e Asgard, a segunda geração.

Odin

Com a queda dos sete guerreiros deuses de Asgard, aquele que conseguisse sua safira guardiã que simbolizava a Ursa Maior, poderia embanhar a espada Balmung e destruir o feitiço do anel de Nibelungo. Depois do esforços de seus amigos, depois de suplicar ao deus Odin, ele não apenas concede a espada Balmung, mas também a armadura nórdica que foi usada desde tempos primórdios.

[editar] Predefinição:Vídeo

[editar] Predefinição:Veja Mais

Ferramentas pessoais